• Betweien

Tendências na educação para 2020

Atualizado: 27 de Dez de 2019

Quando se fala em tendências, torna-se inevitável falar também em tecnologia. Atualmente, as tecnologias estão em todo o lado! O que leva a que seja necessária uma constante adaptação nas mais diversas áreas, e a educação não é diferente. O contacto dos alunos com a tecnologia é maior do que nunca, e os professores encontram-se numa posição – privilegiada para uns, para outros, nem tanto – de poder conciliar a tecnologia com o processo de aprendizagem dos seus alunos.

Hoje, apresentamos algumas tendências que poderão ser visíveis na educação, no ano 2020.


Utilização de novas tecnologias

Esta é aquela tendência que certamente se irá manter ano após ano…

Apesar da constante evolução, a utilização das mais recentes tecnologias não está ao alcance de todas as instituições de ensino. Restrições de orçamento e tempo, resistência à mudança e à aquisição de novas competências, são apenas algumas das limitações que levam a que as instituições não se atualizem. Perante este tipo de situações, a reinvenção acaba por desempenhar um papel chave. Em vez de direcionar o foco para a aquisição dos produtos tecnológicos mais recentes, as escolas devem focar-se em formas mais intuitivas de utilizar as tecnologias na sala de aula. Atualmente, felizmente, a internet tem inúmeros recursos que permitem aos professores manterem-se atualizados relativamente ao que se passa no mundo das tecnologias na educação.

O bem-estar do aluno

O bem-estar e a saúde dos estudantes estão em foco!

O stress é uma realidade vivida por uma grande parte dos alunos que, diariamente, lidam com pressões provenientes do mundo académico. Problemas como a ansiedade e as depressões podem surgir com o decorrer da vida académica de muitos alunos. Neste capítulo, as escolas passarão a ter um papel muito mais interventivo. Atualmente, existem alguns casos que demonstram que as novas tecnologias podem apoiar os alunos nas questões mentais. A NASUWT – associação de professores do Reino Unido – revelou que 41% dos professores de escola primária detetaram problemas na saúde mental de crianças entre os 4 e os 11 anos. É importante acompanhar o progresso pessoal dos alunos e ajudar individualmente aqueles que enfrentam dificuldades. No entanto, para que tal aconteça, são necessárias algumas alterações, especialmente em escolas que se veem forçadas a criar turmas muito grandes.

A mudança do papel do professor

O professor está a mudar a sua postura...

O professor passará a adotar um comportamento de aprendiz, como a restante turma. Mas, existe uma grande diferença entre ambos… o professor será sempre um aprendiz experiente! Desta forma, o professor poderá colocar-se do lado dos alunos para acompanhar o que está a falhar no processo de aprendizagem, transmitindo-lhes ensinamentos que lhes permitam lidar com a incerteza e até mesmo resolver problemas.

Claro que continuará a existir a necessidade de o professor “alimentar” os alunos com matéria, no entanto, a maior valorização recairá sobre o desenvolvimento de competências interpessoais, dada a crescente valorização das mesmas na sociedade atual.


Realidade Aumentada

A realidade aumentada expande a nossa realidade física e permite aos alunos visualizar algo que nas suas mentes seria abstrato e de difícil compreensão. A grande vantagem da realidade aumentada reside na possibilidade de ligar projeções a objetos físicos e criar algo com o qual os alunos possam interagir. Tudo isto cria experiências envolventes e imersivas com maior probabilidade de permanecer na memória dos alunos.


Cultivar a empatia

Como referido anteriormente, as competências interpessoais têm vindo a assumir uma importância cada vez maior. Gerir emoções, resiliência e determinação podem parecer os aspetos mais relevantes da inteligência emocional na educação, mas não serão os que vão estar em destaque em 2020… Cutlive a empatia e a compaixão!

É impossível construir uma cultura positiva na sala de aula sem empatia. A empatia é necessária para criar confiança e amizade entre os alunos, bem como para melhorar as relações aluno-professor.

Além disso, ao criar um ambiente empático na sala de aula, facilitamos o trabalho em grupo e promovemos uma educação inclusiva, por exemplo, quando uma criança não pensa duas vezes antes de levantar a mão para fazer uma pergunta.

Hora do génio

A hora do génio nada mais é, do que uma hora onde os alunos são incentivados a estudar e procurar saber mais sobre um tema que lhes agrade. Os alunos são os seus próprios professores e, individualmente, escolhem sobre o que querem aprender durante esta hora. Este método de aprendizagem permite aos alunos promover a sua autonomia, criatividade, e pode ainda fazer com que descubram qual a sua área de interesse.

Ajudar os alunos a descobrir as suas paixões faz parte do papel do professor, e enquanto alguns alunos prosperam sem limitações, outros precisarão de alguma estrutura e orientação fornecida pelo professor. Tire um tempo para aprender mais sobre eles, observe.


Blended Learning

Temos um artigo totalmente dedicado à tendência de Blended Learning!


Gamificação da Educação

Os seres humanos jogam não apenas quando são jovens, mas durante toda a vida. As semelhanças fundamentais entre a aprendizagem e os jogos são a exploração, o reconhecimento de padrões, a descoberta e o senso de progresso, e tudo isto pode acontecer sem o recurso a ferramentas digitais. Competitividade, cooperação, tomada de decisões, feedback imediato, progresso - que é uma recompensa em si - e a alegria no processo de aprendizagem são os destaques de uma educação gamificada. Os alunos aprendem porque é uma coisa divertida de se fazer.

0 visualização

© Betweien, Lda., 2018 - Todos os direitos reservados.

  • Facebook Betweien
  • Instagram Betweien
  • Linkedin Betweien
  • Youtube Betweien