• Betweien

Rapazes vão de saia para a escola como forma de protesto contra regras sexistas

Vários rapazes do colégio "Nouvelles Frontières", em Quebec, no Canadá, decidiram ir de saia para a escola, como forma de protesto contra as regras que consideram ser “sexistas”. Alguns estudantes demonstraram, de uma forma mais impactante, que não concordam com a regra que define que as raparigas devem usar saias 10 centímetros acima do joelho, enquanto que. no caso dos rapazes, não existe qualquer tipo de regras relativas ao vestuário. Assim, decidiram protestar de forma a apoiar os direitos das mulheres e para quebrar o estereótipo de que um homem não pode usar roupa feminina sem deixar de ser “um homem a sério”.

Zachary Paulin, de 16 anos, um dos estudantes do colégio que participou no protesto, partilhou uma fotografia ao lado de outros colegas, para falar sobre o assunto.

“Por esta altura, alguns de vocês provavelmente já repararam que estes rapazes, tal como eu, estão a usar saia. Bem, deixem-me contar o porquê deste gesto”, começou por escrever na publicação partilhada nas redes sociais.

“O duplo padrão de como uma mulher e um homem se devem apresentar aos olhos da sociedade é gritante; se uma mulher usar fato e calças, roupas associadas à masculinidade, não se pensa em mais nada. Mas, por causa da masculinidade tóxica, se um rapaz vai fazer algo feminino, seja pintar as unhas, maquilhagem ou, no nosso caso, uma saia, ele é bombardeado com insultos. Vamos dizer que não é um homem de verdade e vamos assumir imediatamente a sua orientação sexual”, acrescentou.


"Além disso, às vezes, a saia é uma forma de algumas escolas abusarem do código de vestuário inconscientemente (…) os abusadores irão desculpabilizar as suas ações sexualizando as mulheres de maneira desnecessária e grosseira. Assim, ao usar a saia, nós solidarizamo-nos com as mulheres da sociedade que estão constantemente a ser sexualizadas", defendeu. “Não aceitamos discriminação, homofobia e sexismo. Isto é o que nossa saia representa”, rematou.


Esta ação começou no Collège Nouvelles Frontières, onde 100 estudantes do sexo masculino compareceram à aula vestindo saias para lutar contra o duplo padrão nos códigos de vestuário da escola. Entretanto, alunos de várias outras escolas da província juntaram-se também ao protesto.


Fonte: Jornal Sol

64 visualizações

© Betweien, Lda., 2018 - Todos os direitos reservados.

  • Facebook Betweien
  • Instagram Betweien
  • Linkedin Betweien
  • Youtube Betweien