• Betweien

A metodologia Reggio Emilia

Se dedicarmos parte do nosso tempo ao acompanhamento escolar das crianças, rapidamente nos apercebemos de que a educação infantil está cada vez mais voltada para o conteúdo. Mas, se a educação assenta na transmissão de conteúdo de forma expositiva, onde ficam as práticas vivenciais e as experiências? Foi precisamente essa abordagem que Loris Malaguzzi procurou contrariar. Loris procurou criar uma nova abordagem pedagógica, que procurasse tornar a criança na protagonista da construção do seu futuro. Esta abordagem viria a ficar conhecida como "Reggio Emilia".

Quem é Loris Malaguzzi?

Loris Malaguzzi nasceu em Correggio - uma cidade italiana localizada na província de Reggio Emilia - a 23 de fevereiro de 1920. Formado em Pedagogia pela Universidade de Urbino, começou a lecionar nas escolas primárias entre 1941 e 1943 em Sologno.

Foi em 1946 que tudo mudou, no período pós-guerra, quando se juntou a um projeto que tinha como intuito construir uma escola para crianças. Nesta escola, construída por pessoas do meio rural, Loris implementou aquela que seria a sua visão relativamente à educação infantil. Loris defendia que não era o que as crianças aprendiam na escola que iria definir aquilo que elas seriam no futuro, mas sim, o trabalho desenvolvido na realização de atividades práticas, com recurso aos materiais à sua disposição.


A origem

Em 1946, logo após a Segunda Guerra Mundial, em Vila Cella, alguns trabalhadores e comerciantes devastados pela guerra, uniram-se a novos moradores que por lá se estabeleceram, para que pudessem construir uma escola para as crianças. Era uma escola diferente. Uma escola construída pela vontade das famílias que procuravam um mundo melhor através da educação. Para Loris Malaguzzi, a ideia era genial. Rapidamente visitou Vila Cella para ficar a conhecer melhor o projeto. A admiração foi instantânea.

"Encontrei mulheres empenhadas em recolher e lavar pedaços de tijolos. As pessoas decidiram que o dinheiro para iniciar a construção viria da venda de um tanque de guerra abandonado, de camiões e de alguns cavalos deixados para trás pelos alemães após a sua retirada."

A visão de Loris Malaguzzi

Foi em Vila Cella que o jovem professor Loris Malaguzzi liderou e implementou uma proposta educativa inovadora. A escola de Reggio Emilia tornou-se inovadora porque os pais fizeram parte dela e porque os eventos eram organizados pelas famílias, professores e alunos, sempre na procura da integração e da promoção do trabalho de equipa. Desta forma, a escola representaria uma continuidade do lar. A aprendizagem era marcada pela vontade do professor em aprender enquanto ensinava. O objetivo era que o professor aprendesse com a criança, ou seja, o professor teria que se esforçar para compreender a lógica de aprendizagem da criança e, a partir daí, pensar em alternativas eficientes para ajudá-la a continuar a aprender. Desta forma, a posição em relação ao detentor do saber seria revertida, atribuindo mais valor ao conhecimento da criança. É importante notar que, nesta abordagem, o ambiente onde a criança se insere é também considerado um professor.


A proposta Reggio Emilia, tinha a intenção de mostrar a abordagem pedagógica voltada para a criança como protagonista na construção do seu conhecimento.


Construída com a força e a união da comunidade. A metodologia de Reggio Emília tornou-se numa metodologia inovadora, e serviu de inspiração para diversos projetos espalhados pelo mundo fora. Inovadora porque quebrou vários paradigmas tradicionais de educação, já que a compreensão é contrária à relação tradicional entre o detentor do saber e o recetor, professor e aluno. É proposto que o professor aprenda enquanto ensina, compreendendo a lógica de aprendizagem da criança através da escuta.

Loris chegou ainda a apontar o dedo às escolas operadas pelo Estado que aderiam a uma "estúpida e intolerável indiferença para com as crianças. Empurram um conhecimento pré-embalado...”.


A escola em Reggio Emilia está em contínua mudança porque o projeto de educação que propõe se baseia no relacionamento e na participação, e, consequentemente, o seu trabalho é reflexivo, ou seja, repensa-se e reconstrói-se constantemente.


Atualmente, a abordagem Reggio Emilia está presente em 43 países. Em 1991, foi considerada a melhor metodologia de educação infantil do mundo pela revista americana Newsweek e, a partir daí, ganhou reconhecimento internacional.



128 visualizações

© Betweien, Lda., 2018 - Todos os direitos reservados.

  • Facebook Betweien
  • Instagram Betweien
  • Linkedin Betweien
  • Youtube Betweien