• Betweien

Gamificação - Uma forma de estimular a aprendizagem

O educador alemão Sebastian Thrun disse uma altura que "a educação deveria aprender com o lado positivo dos jogos - alcançar, recompensar e divertir". Para Sebastian, a gamificação, sempre representou uma grande oportunidade para potenciar a aprendizagem. Mas, afinal, o que é isto da gamificação?

O que é gamificação?

Gamificação tornou-se numa das maiores apostas da educação a nível mundial. Nada mais é, do que a utilização de jogos com o intuito de procurar um maior envolvimento da parte de quem os joga (neste caso, os alunos).

O potencial da gamificação é bastante extenso, para além de despertar um maior interesse nos alunos, aumentar a participação, desenvolver a criatividade e a autonomia, promover o diálogo, ajuda ainda os alunos na tomada de decisão.

A gamificação utiliza estratégias em contextos que não são necessariamente associados a jogos, sendo um deles a sala de aula. Apesar de, muitas das vezes, os jogos estarem associados a distração, a gamificação procura combater esta ideia, procurando uma aprendizagem mais imersiva, aumentando a produtividade e o foco.


Competitividade e recompensas

Geralmente, os alunos procuram superar os colegas que participam nestes jogos, aliás, a competitividade é uma reação natural do ser humano. Na gamificação, essa competitividade tem um retorno positivo, através da atribuição de recompensas, prémios e reconhecimento. No entanto, nem todos que participam nestes jogos são brindados com uma vitória. Apesar de não trazerem a satisfação de uma vitória, os erros e as derrotas são fundamentais neste processo de aprendizagem, porque todos os erros deverão ser acompanhados e importantes lições. É importante que todo o jogo seja acompanhado por algum adulto, para que possa ser dado o devido acompanhamento.

Superação

É importante que num jogo, os desafios sejam adequados ao nível do jogador. É fundamental que o participante se veja "obrigado" a dar o seu máximo, para que se possa superar a si e aos seus colegas. Um jogo sem qualquer tipo de desafio acaba por se tornar aborrecido e monótono. Muita atenção na hora de definir um grau de dificuldade para o jogo, porque se não estiver ajustado a quem os joga, poderá criar alguma frustração nos participantes.


Como pode ser aplicada em sala de aula?

Criar uma realidade gamificada na sala de aula pode começar com técnicas simples, que não envolvam dispositivos eletrónicos. Boas táticas incluem rankings positivos (que premeiam os bons, sem expor os que estiveram menos bem), medalhas, desafios e competições. Este formato ajuda a captar a atenção dos alunos e faz com que se empenhem nas atividades propostas.

Pontuação e evolução

A pontuação das atividades é uma das formas mais básicas de gamificação. Isto faz com que os alunos tenham vontade de juntar pontos, especialmente, se lhes garantir a passagem para um próximo nível, ou se resultar na atribuição de recompensas.

Essas premiações fazem com que os alunos procurem aprender melhor e de forma mais rápida e organizada.


Melhor desempenho

Para além de tornar as aulas mais dinâmicas, o recurso à gamificação faz com que os alunos sintam vontade de praticar e evoluir, acabando assim por, consequentemente, promover a transmissão e tenção de conhecimentos.


Trabalho em equipa

Outro aspecto incentivado pelo recurso à gamificação, é o trabalho em equipa, uma vez que, frequentemente, é necessário tomar decisões em conjunto. Este ponto é fundamental pois irá permitir que os alunos aprendam a trabalhar em equipa e, com isto, fiquem mais preparados para enfrentar a sua vida adulta.


Feedbacks rápidos e constantes

O feedback constante ajuda a que os alunos evoluam mais rapidamente. uma vez que, graças a esse feedback, ele poderá compreender mais rapidamente os resultados provenientes do seu desempenho. Assim, quando um aluno não estiver a sair-se tão bem numa determinada temática, poderá ser alertado e incentivado a procurar mais informação. Da mesma forma que, quando estiver a correr bem, merece receber parabéns e algum tipo de recompensa — que podem ser pontos extras ou até um conteúdo antecipado do que será estudado futuramente. Quando o aluno conhece os seus resultados, evolui de forma mais eficiente.


Preparação para o mundo real

Além de ajudar nas tomadas de decisão, a gamificação faz com que os alunos aprendam a lidar com o risco, o custo-benefício, a dificuldade e as alternativas. Todos esses conceitos oferecem aprendizagens que virão a ser úteis noutros momentos e áreas da vida.

Como resultado, o aluno torna-se mais crítico e com uma maior capacidade de interpretação.


Ideias de gamificação na educação

O jogo da Sala de aula

Uma boa forma de aplicar gamificação na educação é transformar a aula num grande jogo. Nesse contexto, são atribuídas notas às atividades, assim, a nota final depende de quantos pontos o aluno conseguir acumular durante o período.

Pode definir também que o aluno evoluirá de nível com a conquista de pontos: começa como iniciante e pode chegar a mestre, por exemplo. Estas estratégias servirão de incentivo para que os alunos se empenhem durante as aulas.


Torneios

Criar um torneio entre os alunos é uma alternativa interessante e dinâmica. Esse tipo de competição deixa-os ansiosos para demonstrar o que sabem. Entre as recompensas oferecidas, podem estar medalhas, adesivos ou até mesmo lápis/canetas. Esse tipo de motivação geralmente é bem aceite de forma transversal.


Lúdico

Gamificação não é sinónimo de jogos eletrónicos! Os jogos de tabuleiro são uma excelente opção de atividades interativas que podem ser realizadas em sala de aula. Uma boa ideia é fazer tabuleiros gigantes para que vários alunos possam jogar ao mesmo tempo. Eles próprios podem ajudar na definição das regras, no estabelecimento das recompensas e na confecção do material.


207 visualizações

© Betweien, Lda., 2018 - Todos os direitos reservados.

  • Facebook Betweien
  • Instagram Betweien
  • Linkedin Betweien
  • Youtube Betweien